20 de jan de 2012

Papas do Séc. III: sob o abrigo das catacumbas

Estamos de volta,
Hoje é dia de falar dos Papas do Século III. Começando com:

papa_zeferino_i_santoSÃO ZEFERINO - instituiu a comunhão para todo os cristãos a partir de 14 anos, pelo menos uma vez por ano.  São Zeferino era um homem simples, temente a Deus e muito humilde.  Talvez pelas suas características, seu papado tenha sido marcado por duras disputas teológicas, que culminaram com a excomunhão de Tertuliano, o filósofo de Cartago (África).  São Hipólito, erudito e sábio, talvez o maior teólogo de sua época, achava que São Zeferino era burro… bom isso aí é briga de Santo, eh eh eh.  São Hipólito era “o cara” naquela época, e sempre estava criticando o Papa da hora. Achava que São Zeferino era dominado pelo seu diácono, Calisto, que o viria a suceder.

Bom, depois dese momento fofoqueiro, continuemos a contar a história deste Papa. Ele recebeu a doação de um terreno próximo a Via Ápia, onde foi fundado o primeiro cemitério cristão de Roma (catacumbas), que está lá ainda hoje.  São Zeferino calçou as sandálias de Pedro de 199 a 217.

SÃO CALISTO I - Sucessor e Diácono de São Zeferino, esteve à frente das catacumbas, o grande legado de São Zeferino, por cerca de 20 anos.  Homem de confiança de Zeferino, foi a principal “vítima” de são Hipólito.  Por essas e outras alguns historiadores consideram São Hipólito como o primeiro anti-papa.  São Calisto foi escravo; seu senhor amava-o tanto, que legou a ele um banco.  Bom, acontece que São Calisto não era nenhum Bildberg, e foi à falência.

Calisto foi um homem bondoso, que afrouxou a rigidez da concessão de absolvição, e foi principalmente isso que deixou São Hipólito tão fulo. Seu túmulo está no cemitério de Calepódio. Foi Papa de 217 a 222.
 
catacumbas
uma das galerias das catacumbas de São Calisto.
SANTO URBANO I - Na época do seu papado, os cristãos tiveram uma folga das “tardes de domingo no Coliseu”; comparando com os anos os anteriores, foram anos de maricota. São Urbano foi enterrado no cemitério de São Calisto.  Papa de 222 a 230.

SÃO PONCIANO – São Ponciano foi o primeiro Papa a abrir mão do cargo.  Seu pontificado foi bem tranquilo, assim como o de seu antecesor. Foi papa de 230 a 235.

SANTO ANTERO - Um dos primeiros “Papas relâmpago”, ficou no trono apenas dois meses.  É como aquele jogador que entra aos 43 do segundo tempo. No outro dia sai no jornal: “pouco ou nada fez”.  Está sepultado no Cemitério de São Calisto.  Papa de 21 de novembro de 235 a 3 de janeiro de 236.

SÃO FABIANO - Reorganizou o clero romano ao dividi-lo em sete distritos eclesiáticos e repatriou os restos mortais de Ponciano e Hipólito. Durante seu reinado, acabou a moleza dos tempos do Imperador Alexandre Severo.  São Fabiano foi preso e morto na prisão.  Seu pontificado foi de 236 a 250.

SÃO CORNÉLIO - O Imperador Décio retornou a prática de alimentar leões e tigres com carne de cristão.  Não bastasse isso, São Cornélio teve que enfrentar hereges e cismáticos que aprontavam utilizando-se da polêmica a respeito do batismo. Cornélio deve indiretamente sua eleição aos bárbaros godos: quando o Imperador saiu da cidade para combatê-los, rapidinho fizeram a eleição. É meu caros… tempos muito, muito difíceis aqueles.

Atribui-se a esse Papa o primeiro levantamento do corpo funcional da Igreja: 46 sacerdotes, 7 diáconos, sete subdiáconos, 42 acólitos, 52 exorcistas, leitores e porteiros e mais de 150 viúvas, que eram consideradas funcionárias da Igreja.  Seu corpo foi sepultado no cemitério de São Calisto. Papa de 251 a 253.

SÃO LÚCIO – Era também chamado de Confessor.  Quando o Imperador Gaio chegou ao trono, Lúcio foi exilado, só retornando a Roma quando Gaio morreu.  Foi tolerante para com os hereges arrependidos.  Foi Papa de 253 a 254.

SANTO ESTÊVÃO – Foi durante seu pontificado que destacou-se São Cipriano na luta contra o batizado realizado por hereges e cismáticos arrependidos e sobre a necessidade de rebatismo ao retornar a Igreja (não confundir esse São Cipriano com o São Cipriano de Antióquia, que foi um bruxo convertido por Santa Justina).  São Cipriano era considerado o “Papa africano”, tamanha era sua influência em termos de doutrina.  Foi Santo Estêvão o primeiro Papa a evocar Mateus 16, 18: “E eu te declaro: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja; as portas do inferno não prevalecerão contra ela”. Isso foi a forma usada para chamar atenção de Cipriano. Seus restos jazem na cripta papal de são Calisto.  Foi papa de 254 a 257.

SÃO SISTO II - Papa e mártir. O Imperador Valeriano, um dos piores perseguidores da Igreja (e olha que pra ser chamado de “um dos piores” tem que ser ruim mesmo!), resolveu dar um upgrade na perseguição a cristãos: agora eles seriam caçados nas catacumbas.  Além disso, publicou leis e editos onde condenava a morte bispos, clérigos e diáconos.  São Sisto II foi decapitado junto com quatro diáconos enquanto celebrava a Missa.  Foi Papa de 257 a 258.

PopesixtusII
O Papa Sisto II e seus companheiros de martírio.

 SÃO DINIS – Foi São Denis que estabeleceu a doutrina da Trindade como nós a conhecemos hoje. Subiu ao trono enquanto Valeriano aprontava das suas contra o povo de Deus.  O filho de Valeriano, Galieno, por graça, reverteu todas as decisões do pai.

Esse talvez tenha sido o papa mais importante do século III. Muita gente confunde São Denis com São Dinis; este último viveu na mesma época, só que em Paris, e é um mártir também, já que foi decapitado pelos romanos pagãos.  São Denis esteve à frente da Igreja de 260 a 268.

SÃO FÉLIX – São Félix faz parte da lista oficial Vaticana mas, de todos o papas, talvez seja o que menos é mencionado na história.  A única menção a Félix como papa diz respeito a uma carta de um Concílio realizado em Antióquia em que se decidiu depor o bispo Paulo de Samosata, por causa de sua divergência no que tange ao conceitos de trindade estabelecido por São Denis.  Foi Papa de 269 a 274.

SANTO EUTIQUIANO – Ah!!! A paz estava presente!! O papado de Santo Eutiquiano foi um tempo de relativa calmaria, mas como no caso de São Félix, sobrou pouco para contar melhor a história.  O leitor deve estar se perguntando: “ué, se tudo estava calmo, porquê não tem nada a respeito dessa época?”  Eu vos digo – na verdade estava-se vivendo num olho de furacão.  Eu classifiquei o imperador Valentiniano como um dos piores lembram?  Mas ele não foi nem de longe o pior… Bom, resta falar que São Eutiquiano foi o último Papa a ser sepultado no cemitério de São Calisto e eu pontificado vai de 275 a 283.

SÃO GAIO - O cristianismo cresceu sob os três últimos papas, incluindo São Gaio. O poder da Igreja vinha da adesão popular e começava a incomodar aos pagãos romanos.  São Gaio foi o último papa do “olho do furacão”; a perseguição voltaria, mais violenta que nunca.  São Gaio não foi sepultado no cemitério de São Calisto, que havia se esgotado. Em 1631, Urbano VIII transladou seus restos para a Basílica Roma que levava seu nome, mas a Igreja foi destruída e hoje seus restos encontram-e em uma capela  particular.  Foi o último Papa do século III, tendo ficado à frente da cristandade de 283 a 296.

No próximo post: Os Papas do Século IV, destacando o “melhor entre os piores perseguidores da Igreja e dos cristãos” – O Imperador Dioclesiano. Vocês pensam que o Nero é ruim? Esperem só pra conhecer a história desse cara!

Por Paulo Ricardo em 02/10/2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário