31 de jan de 2012

Pensamento (49)


"Acima de tudo deveis apartardes das suspeitas, porque este é o veneno da amizade."
Santo Agostinho de Hipona

A menina, o banheiro e o marmanjo gay

Uma menina de dez anos entra no banheiro feminino de uma pizzaria e se assusta. Ela volta para sua mãe e cochicha: “Tem um homem lá dentro do banheiro! Ele tá vestido de mulher!”

A mãe não tem dúvida: numa reação natural que qualquer outra mãe teria, reclama para o dono da pizzaria.
O dono, em atenção à mãe e à segurança dela e sua filha, pediu, quase que implorando, para que o homem vestido de mulher não voltasse mais ao banheiro feminino.

Toda a humilhação e imploração do dono de nada valeram. O caso chegou à Secretaria da Justiça do Estado de São Paulo, que telefonou — não para a mãe e sua filha —, mas para o homossexual, de nome Laerte Coutinho, dizendo que a pizzaria violou a lei estadual 10.948/2001, sobre discriminação por orientação sexual ou identidade de gênero. A pizzaria será multada e ameaçada por forças governamentais a serviço e seviciadas pelo movimento gay. Laerte está determinado a exigir essa truculência estatal contra a pizzaria, como lição para todas as meninas do Brasil que encontrarem um gay no banheiro das mulheres.

27 de jan de 2012

Os Papas do Século IV – sob o ataque de perseguições, intrigas e heresias

E então amigos,

Nessa longa série de postagens, continuaremos agora mostrando um pouco da vida e da obra dos Papas do Século IV.  Lembrando que essa foi a época em que deu-se a maior e pior perseguição aos cristãos da História.

SÃO MARCELINO – Viveu os antecedentes da Perseguição.  Acuado, forneceu ao Imperador Diocleciano as cópias das Sagradas Escrituras e segundo algumas fontes ofereceu incenso aos deuses. O seu destino final é incerto.  Não se sabe se foi deposto ou morreu antes de abdicar.  A lista oficial do Vaticano considera-o Papa até sua morte.

São Marcelino foi enterrado no Cemitério particular de Santa Priscila porque os cemitérios do Vaticano foram surrupiados por Diocleciano.  Resumindo, se você era cristão no século IV e dissesse que ganhou uma coisa o Imperador provavelmente olharia pra você e diria: “Ganhou não, perdeu, encaçapa esse malandro!”.  São Marcelino foi Papa de 296 a 304.

Pensamento (47)


"Antes da Comunhão... suplica a esta bondosa Mãe que te empreste seu coração para receber nele a seu Filho com suas próprias disposições."
São Luis Maria Grignon de Monfort

26 de jan de 2012

Volte à Cruz!


O brado Volta a Bordo soa aos cristãos como um doce convite: Volta à Cruz!


O trágico naufrágio do transatlântico Costa Concordia, navio italiano que adernou às margens de uma ilha na região da Toscana, é um triste arquétipo do homem contemporâneo, cheio de honras, pompas e títulos. Este mesmo homem, que gosta dos benefícios e honrarias de sua posição, foge covardemente de suas responsabilidades, esconde-se como uma criança diante dos seus deveres, muitas vezes colocando em risco de morte milhares de pessoas. O Comandante Francesco Schettino, que abandonou seus tripulantes e passageiros ignorando suas responsabilidades, ouviu do comandante Gregorio Maria De Falco a ordem que devia ressoar nos ouvidos dos homens públicos e, principalmente, dos cristãos: Volta a Bordo!

Pensamento (46)


"Anda com os sábios e serás sábio; o que freqüenta os néscios, será como eles."
Prov 13

25 de jan de 2012

Pensamento (45)


"Amemos a Deus e lhe adoremo-lo com coração singelo e espírito puro, que isso Ele o busca acima de tudo."
São Francisco de Assis

Twitaço católico

"vivas tanto ou mais que Pedro..."

Nesta última quinta feira, das 18,00 às 19,00 horas, milhares de católicos uniram-se em uma manifestação pacífica e civilizada, através de um "twitaço", exigindo a retratação de um deputado, por sinal, eleito com votos de sobra, recebidos de seu partido.

Em infeliz declaração, o deputado, desrespeitosamente, referiu-se ao Santo Padre, o Papa Bento XVI acusando-o de ligações com o nazismo, entre outras pérolas.

É importante salientar o direito que nós, católicos, cidadãos deste país, temos de demonstrar democraticamente, nossas opiniões. É interessante ver que, quando os católicos usam deste direito, há gente que se enerva e, imediatamente, passa à agressão verbal. Ao "twitaço", o deputado respondeu dizendo que os católicos "são medíocres"... Já seu partido, chama-nos de "canalhas". 

24 de jan de 2012

“O Papa pode estar certo” – Edward C. Green


[Original: Washington Post
Tradução: SOVA]
por Edward C. Green
publicado no The Washington Post
em 29 de março de 2009, pg A15
Quando o Papa Bento XVI disse, recentemente, que a distribuição de camisinhas não está resolvendo, e pode até estar piorando, o alastramento do HIV/AIDS na África, ele detonou uma explosão de protestos. A maioria dos comentários não-católicos foi altamente crítica em relação ao Papa. Uma charge do Philadelphia Inquirer, reimpressa no The Post, mostrou o Papa como um vampiro pregando a uma multidão de doentes e moribundos africanos dizendo: “Bem-aventurados os doentes, pois eles não usaram camisinhas”.
No entanto, a verdade é que as evidências empíricas atualmente disponíveis concordam com as palavras do Papa.
Nós, liberais que trabalhamos nos campos da HIV/AIDS e do planejamento familiar em âmbito global, correríamos um terrível risco em termos profissionais se nos puséssemos ao lado do Papa num assunto tão polêmico quanto este. A camisinha se transformou num símbolo da liberdade e – junto com a contracepção -  da emancipação feminina, de tal forma que aqueles que questionam a “ortodoxia do preservativo” são acusados de serem contra aquelas causas. Meus comentários são somente sobre a questão dos preservativos funcionarem como meio de alastramento da epidemia generalizada de AIDS na África – nada mais que isso.

Pensamento (44)

"Amar não é olhar-se um ao outro; é olhar juntos na mesma direção."
Saint-Exupery

23 de jan de 2012

Pensamento (43)

Ó Jesus, o abismo da Vossa misericórdia derramou-se na minha alma, que é apenas o abismo da miséria. Agradeço-Vos, Jesus, pelas graças e pelos pedacinhos da Cruz que me dais a cada momento da vida.  
Santa Faustina

20 de jan de 2012

Pensamento (42)

Jesus é realmente fundamental. Sem Ele nada teria sentido!  
Santo Inácio de Loyola

Papas do Séc. III: sob o abrigo das catacumbas

Estamos de volta,
Hoje é dia de falar dos Papas do Século III. Começando com:

papa_zeferino_i_santoSÃO ZEFERINO - instituiu a comunhão para todo os cristãos a partir de 14 anos, pelo menos uma vez por ano.  São Zeferino era um homem simples, temente a Deus e muito humilde.  Talvez pelas suas características, seu papado tenha sido marcado por duras disputas teológicas, que culminaram com a excomunhão de Tertuliano, o filósofo de Cartago (África).  São Hipólito, erudito e sábio, talvez o maior teólogo de sua época, achava que São Zeferino era burro… bom isso aí é briga de Santo, eh eh eh.  São Hipólito era “o cara” naquela época, e sempre estava criticando o Papa da hora. Achava que São Zeferino era dominado pelo seu diácono, Calisto, que o viria a suceder.

Bom, depois dese momento fofoqueiro, continuemos a contar a história deste Papa. Ele recebeu a doação de um terreno próximo a Via Ápia, onde foi fundado o primeiro cemitério cristão de Roma (catacumbas), que está lá ainda hoje.  São Zeferino calçou as sandálias de Pedro de 199 a 217.

SÃO CALISTO I - Sucessor e Diácono de São Zeferino, esteve à frente das catacumbas, o grande legado de São Zeferino, por cerca de 20 anos.  Homem de confiança de Zeferino, foi a principal “vítima” de são Hipólito.  Por essas e outras alguns historiadores consideram São Hipólito como o primeiro anti-papa.  São Calisto foi escravo; seu senhor amava-o tanto, que legou a ele um banco.  Bom, acontece que São Calisto não era nenhum Bildberg, e foi à falência.

19 de jan de 2012

Carta Aberta aos Patrocinadores do BBB 12


No dia 10 de janeiro, Dom Henrique Soares escreveu em seu blog o que os cristãos católicos já deviam saber de cor: a responsabilidade das famílias na formação de seus filhos é inalienável e os pais têm de cumprir seu dever. Nas palavras do bispo auxiliar de Aracaju:
(…) Até quando os pais deixarão correr solta a programação televisiva em suas casas sem conversarem sobre o problema com seus filhos e sem exercerem uma sábia e equilibrada censura?”.

Pensamento (41)

"Amar é o princípio,
amar é a força,
amar é o método."
Paulo VI

18 de jan de 2012

Pensamento (40)

"Com nossos instintos a luta é raramente de igual para igual: ou nossos instintos nos governam ou nós governamos nossos instintos. Como é triste se deixar levar pêlos instintos! Um cristão é um nobre; ele deve, como um grande senhor, mandar em seus vassalos."
São João Maria Vianney

Combata ou BBBye, BBBye


16 de janeiro de 2012
Por Robson Oliveira
 
Lutar contra o reality show da Globo é profilático: quem não combate o BBB agora, inexoravelmente terá de combater um ex-BBB no Congresso ou na Universidade

Na semana passada começou mais uma temporada do programa que envergonha a televisão brasileira. Conversando com amigos, percebe-se que alguns cristãos católicos torcem o nariz e fazem cara de poucos amigos quando o assunto é televisão. Mais ainda se o tema é o Big Brother Brasil (BBB), certamente um dos piores programas televisivos das últimas décadas (que não tem, nem terá minha audiência). Argumentam meus irmãos de infantaria que o importante é combater a prática do aborto, crime hediondo e pecado abominável; afirmam que a urgente batalha se trava nas universidades ou no Congresso Nacional. Não posso discordar, pois as universidades e o Congresso são os lugares ordinários onde se formam os conteúdos que chegam à maioria do povo brasileiro. Esses lugares, no entanto, são razoavelmente democráticos. Isto é, ainda que com muita dificuldade, é possível divulgar um pensamento de matiz diferente do status quo no Congresso Nacional (vejam o caso do deputado Jair Bolsonaro, por exemplo). A universidade ainda permite o discurso contraditório, mesmo que empresas bilionárias mobilizem políticos e pesquisadores inescrupulosos para fazer vencer um discurso ideológico (vejam o caso da Mayanna Zatz e as células-tronco adultas).

17 de jan de 2012

Pensamento (39)

"Os cristãos que entram num baile deixam o seu Anjo da Guarda na porta, e é um demônio que o substitui; portanto, logo passa a haver na sala tantos demônios quantos dançarinos." 
São João Maria Vianney

Vocação para Margem ou “Non Serviam”


Alguns críticos do teísmo, como o falecido Christopher Hitchens, dizem que a religião é a causa dos males  do mundo e a maior divulgadora de doutrinas estranhas e indefensáveis. Para eles, por exemplo, o respeito absoluto à liberdade humana por parte de Deus, inclusive depois da morte, é absurdo (o inferno); o esforço humano pelo equilíbrio na obtenção dos prazeres é uma afronta (ascese). No fundo desta postura está a premissa: o que não entendo é um absurdo. Como a dor não tem sentido para os ateus, o inferno como lugar de dor eterna é algo incompreensível; do mesmo modo, como o prazer não pode se submeter a regras, a ascese humana para ordenar as paixões é uma violência, a seus olhos. Para eles, a religião, e o cristianismo em particular, é castradora.  No entanto, é justamente o contrário. O pensamento de matiz religioso e especialmente o espírito cristão católico é mais inclusivo e abrangente que o ateísmo puro e simples.  O cristão católico não ignora nada: o mundo não é um lugar de onde se deva fugir, mas um campo de batalha que tem o leigo como infantaria entusiasmada; a dor não é uma inimiga, como pensam os ateus, mas uma aliada, se bem entendida; nem a morte, mal irremediável para os ateus – Hitchens que o diga! – tem a palavra final para os cristãos. Enfim, entre os ateus e os cristãos, quem vive castrado, sem poder aproveitar tudo (tudo mesmo!) que nosso mundo oferece são os ateus, pois eles só aceitam o prazer e não a dor; a vida e não a morte; a força, nunca a fraqueza. Nós outros, pelo contrário, assumimos tudo o que o mundo tem para nos dar.

16 de jan de 2012

Pós-Madri. Como Bento XVI inovou as JMJ

Pós-Madri. Como Bento XVI inovou as JMJ
São ao menos três as novidades que caracterizam as Jornadas Mundiais da Juventude com este Papa: os espaços de silêncio, a idade muito jovem dos participantes e a paixão em testemunhar a fé no mundo.
A reportagem é de Sandro Magister e está publicada no sítio italiano Chiesa, 24-08-2011. A tradução é do Cepat.
Depois de cada viagem para fora da Itália, Bento XVI gosta muito de fazer um balanço da mesma na audiência geral da quarta-feira seguinte.
Foi o que fez depois da Jornada da Juventude de Colônia, em agosto de 2005. Não o fez voltando de Sidney porque foi um julho e nesse mês as audiências gerais são suspensas. Mas o Papa comentou mais tarde sua viagem à Austrália no discurso feito à cúria romana por ocasião do Natal de 2008.
Desta vez, de volta de Madri, Bento XVI fez novamente uma reflexão sobre a sua terceira Jornada Mundial da Juventude.
Nesta e em suas reflexões anteriores, é evidente que Bento XVI vê as Jornadas Mundiais da Juventude como um momento relevante de sua missão de sucessor de Pedro.
Um simples exame externo destes encontros mundiais evidencia também características diferentes que se manifestaram de maneira particularmente visível em Madri.
* * *
A primeira é o silêncio. Um silêncio prolongado, intensíssimo, que irrompe nos momentos chaves em um mar de jovens que até imediatamente antes estava explodindo em festa.
A Via Crucis é um destes momentos. Outro ainda mais impressionante é o da adoração da Santa Hóstia durante a vigília noturna. Um terceiro é o da comunhão durante a missa de encerramento.
A adoração silenciosa da Santa Hóstia é uma inovação introduzida nas Jornadas Mundiais da Juventude por Bento XVI. O Papa se ajoelha e com ele se ajoelham centenas de milhares de jovens. Todos em direção não do Papa, mas daquele “pão nosso de cada dia”, que é Jesus.
Em Madri, a tempestade que antecedeu a adoração eucarística tornou ainda mais impressionante este silêncio. E algo similar ocorreu na manhã seguinte, na missa. O inesperado cancelamento da distribuição da comunhão – por razões de segurança não esclarecidas – não provocou desordem e distração na imensa multidão de jovens, mas, ao contrário, um silêncio de compostura e intensidade surpreendente, uma “comunhão espiritual” de massa sem precedentes.
* * *
Uma segunda característica distintiva desta última Jornada Mundial da Juventude é a idade média muito baixa dos participantes: 22 anos.
Isto significa que muitos deles participaram pela primeira vez. O Papa deles é Bento XVI, não João Paulo II, que conheceram apenas como crianças. Eles são parte de uma geração de jovens e de muito jovens que está exposta a uma cultura secularizada. Mas são ao mesmo tempo o sinal de que as perguntas sobre Deus e os destinos últimos estão vivas e presentes também nesta geração. E o que move estes jovens são precisamente estas perguntas, às quais um Papa como Bento XVI oferece respostas simples e, no entanto, fortemente comprometedoras e atrativas.
Os veteranos das Jornadas Mundiais da Juventude estavam em Madri. Mas sobretudo entre as dezenas de milhares de voluntários que se ofereceram para a organização. Ou entre os numerosos sacerdotes e religiosas que acompanharam os jovens, e cujas vocações surgiram precisamente em Jornadas Mundiais da Juventude anteriores. Já é algo consistente afirmar que encontros como este são um viveiro para futuros líderes das comunidades católicas do mundo.
* * *
Uma terceira característica distintiva é a projeção “ad extra” destes jovens. Eles não estão interessados nas batalhas internas da Igreja para que se modernize com o passar dos tempos. Encontram-se há anos luz das “cahier de doléances” de seus irmãos maiores, que reivindicam sacerdotes casados, mulheres sacerdotes, a comunhão dos divorciados recasados, a escolha popular dos bispos, a democracia na Igreja, etc., etc.
Para eles, tudo isto é irrelevante. Para eles basta ser católico como o Papa Bento os faz ver e entender. Sem distrações, sem contas. Se alto é o preço com que fomos salvos – o sangue de Cristo –, alto deve ser também o oferecimento da vida dos verdadeiros cristãos.
Não é a reorganização interna da Igreja, mas a paixão pela evangelização do mundo o que move estes jovens. O Papa estava para dizer isto com as seguintes palavras, no discurso interrompido pelo temporal:
“Queridos amigos, que nenhuma adversidade vos paralise. Não tenhais medo do mundo, nem do futuro, nem da vossa debilidade. O Senhor vos outorgou viver nesse momento da história, para que graças à vossa fé siga ressoando seu Nome por toda a terra”.
O vaticanista norte-americano John L. Allen definiu os jovens reunidos em Madri como “Evangelical Catholics”.
São ao menos três as novidades que caracterizam as Jornadas Mundiais da Juventude com este Papa: os espaços de silêncio, a idade muito jovem dos participantes e a paixão em testemunhar a fé no mundo.
A reportagem é de Sandro Magister e está publicada no sítio italiano Chiesa, 24-08-2011. A tradução é do Cepat.

Depois de cada viagem para fora da Itália, Bento XVI gosta muito de fazer um balanço da mesma na audiência geral da quarta-feira seguinte.
Foi o que fez depois da Jornada da Juventude de Colônia, em agosto de 2005. Não o fez voltando de Sidney porque foi um julho e nesse mês as audiências gerais são suspensas. Mas o Papa comentou mais tarde sua viagem à Austrália no discurso feito à cúria romana por ocasião do Natal de 2008.
Desta vez, de volta de Madri, Bento XVI fez novamente uma reflexão sobre a sua terceira Jornada Mundial da Juventude.

Pensamento (38)

"Quem não pode fazer grandes coisas, faça ao menos o que estiver na medida de suas forças; certamente não ficará sem recompensa" 
Santo Antônio

15 de jan de 2012

O que é a Jornada Mundial da Juventude?


A Jornada Mundial da Juventude é a semana de eventos da Igreja Católica para os jovens e com os jovens. Ela reúne milhares de jovens do mundo todo para celebrar e aprender sobre a fé católica e para construir pontes de amizade e esperança entre continentes, povos e culturas.

Inspirado por grandes encontros de jovens do mundo em eventos especiais ocorridos no Domingo de Ramos em Roma em 1983 e 1984, o Papa João Paulo II estabeleceu a Jornada Mundial da Juventude como um evento anual e um meio para alcançar a nova geração de católicos e propagar os ensinamentos da Igreja.

14 de jan de 2012

Para ser voluntário na JMJ2013

servirServi ao Senhor com Alegria!

Temos agora a oportunidade de fazer essa palavra do salmista se tornar uma realidade. Todos os que na sua vida fizeram uma experiência profunda do amor de Deus são chamados a compartilhá-la com os seus irmãos e o devem fazer no serviço, buscando o exemplo de nosso Senhor.


Na ação de cada um dos voluntários que atuarão na Jornada Mundial da Juventude Rio2013 queremos manifestar a presença do Cristo servo, que nos disse: “Eu não vim para ser servido, mas para servir”. Como canais da graça de Deus eles estarão nos diversos serviços e postos, não para serem servidos, mas para servir.

Você também é chamado a partilhar seus dons e construir conosco a JMJ.

Seja voluntário. Preencha o cadastro no site oficial e faça parte deste sonho do coração de Deus:

Padre Ramon Nascimento Responsável pelo Setor de Voluntários
“Se alguém tem o dom do serviço o exerça como dom dado por Deus” (1Pd 4, 11b)


Fonte:  
www.rio2013.com
http://www.jmjbrasil.com.br/ 

Seg, 09 de Janeiro de 2012 17:22 

13 de jan de 2012

Castidade não é para anjos

A castidade é comandada pela virtude cardeal da temperança

A castidade não é para anjos, é para nós que queremos viver o caminho do Senhor. Existem meios, maneiras, de você conseguir essa graça. A busca pela santidade será até o fim da vida, nunca estaremos prontos.

O termo “castidade”, no Catecismo da Igreja Católica, é a integração da sexualidade na pessoa. Só isso? Só, mas dentro dessa definição existe um mundo de descobertas. A sexualidade é mais do que um órgão genital. Escutamos muito sobre sexo, pornografia, libertinagem com o corpo... Hoje, homens e mulheres são vistos como objetos pela sociedade, pelas novelas, por exemplo. Isso vai contra a nossa natureza, pois viemos do amor e da bondade.

Precisamos escolher o caminho de Deus para encontrar a verdadeira felicidade. É feliz aquele que espera no Senhor! Só é feliz por completo aquele que vive intensamente, – mesmo que lutando, caindo e levantando –, em Deus. Apenas satisfazendo os nossos prazeres seremos infelizes. Você acha que sexo com vários parceiros fará de você uma pessoa feliz? Se pensa assim, está enganado. A castidade é uma porta aberta para nos conhecermos e ficarmos felizes com nós mesmos e com os outros. Você é amado por Deus, Ele quis você antes do seu pai e da sua mãe. Honre o Seu amor!

Pensamento (37)

"Ó meu Senhor Jesus, eu estou pronto a seguir-te mesmo no cárcere, mesmo até a morte, a imolar a minha vida por teu amor, porque sacrificaste a tua vida por nós."
Santo Antônio

Papas do Séc. II: o combate às primeiras heresias

E então meu amigos,

Vamos continuar a postar a nossa listagem de Papas (veja a primeira aqui) e tecer pequenos comentários a respeito dos mesmos.  Nesse post trataremos dos Papas do Século II.

É importante notar que, em virtude das perseguições e das características fundamentais da Igreja em seus primórdios, as biografias dos Papas dessa época encontram-se cheias de lacunas.  É um exercício fundamental colocar-se no lugar daquela minoria.  Só precisamos de um pouco de imaginação, vontade de sair da zona de conforto físico-mental quanto ao entendimento da história da nossa Igreja.

Pope_Alexander_I
São Alexandre I

12 de jan de 2012

A força do intercessor

Moisés não ora por si, mas pelos outros
 
Em nosso batismo fomos feitos sacerdotes, capazes de oferecer a Deus sacrifícios agradáveis, também em favor dos outros. Quantas situações nos são apresentadas diante dos olhos e intimidam nosso coração a uma atitude em favor de alguém ou de algo? Será que aí não estão uma escolha e um convite do Espírito Santo para interceder?

Foi Deus quem chamou Moisés, e agora também nos chama de um lugar que arde, mas que não é a sarça. Chama-nos em nosso coração e abrasa-o com Seu Espírito Santo a fim de enviar-nos, para partilhar de Sua compaixão com os que sofrem, para colaborar em Sua obra de salvação.

Deus está vivo e quer contar com homens e mulheres que estejam dispostos a levar a vida que Ele tem e dá àqueles que se perderam. Todos os que amam sinceramente a Deus não cessam de rezar pelos pobres pecadores.

Pensamento (36)

"Quando rezamos, falamos com Deus. Quando lemos a Sagra Escritura, Deus fala conosco." 
Santo Isidoro

Professor faz Crucificado seguindo os dados do Santo Sudário


O escultor espanhol e catedrático da Universidade de Sevilha, Juan Manuel Miñarro estudou durante dez anos o Santo Sudário de Turim. Como resultado esculpiu um Crucificado que, segundo o artista, seria uma reprodução científica do estado físico de Nosso Senhor Jesus Cristo depois de sua morte.O autor não visava provar a existência de Jesus de Nazaré, mas destacar os impressionantes acertos anatômicos constatados no estudo científico do Santo Sudário.

O professor Miñarro disse à BBC Brasil que, embora tenha privilegiado a “exatidão matemática”, “essa imagem só pode ser compreendida com olhos de quem tem fé”.

11 de jan de 2012

A liberdade do homem


 Na intimidade da consciência o homem descobre uma lei

O valor do homem está naquilo que ele é, não naquilo que faz ou tem. Na essência do seu ser ele herdou do seu Senhor a inteligência, a liberdade, a vontade, a sensibilidade, a consciência. “Na intimidade da consciência o homem descobre uma lei. Ele não a dá a si mesmo. Mas a ela deve obedecer” (Gaudium et Spes 16).

O Catecismo da Igreja Católica (CIC) diz: “Uma consciência bem formada é reta e verídica. Formula seus julgamentos seguindo a razão, de acordo com o bem verdadeiro querido pela sabedoria do Criador. A educação da consciência é indispensável aos seres humanos submetidos a influências negativas e tentados pelo pecado a preferirem o próprio juízo e a recusar os ensinamentos autorizados… A educação da consciência é uma tarefa de toda a vida… garante a liberdade e gera a paz do coração” (CIC 1783).

Pensamento (35)

"Não devemos permitir que alguém saia de nossa presença sem sentir-se melhor e mais feliz."
Madre Teresa de Calcutá

10 de jan de 2012

Carta apostólica "Porta fidei" - Com a qual o Papa convoca o Ano da Fé

CIDADE DO VATICANO, segunda-feira, 17 de outubro de 2011 (ZENIT.org) – Apresentamos, a seguir, a carta apostólica publicada hoje em forma de Motu próprio, intitulada “Porta fidei”, do Papa Bento XVI, com a qual convoca o Ano da Fé.

***

CARTA APOSTÓLICA - SOB FORMA DE MOTU PROPRIO
PORTA FIDEI
DO SUMO PONTÍFICE
BENTO XVI
COM A QUAL SE PROCLAMA O ANO DA FÉ 

1. A PORTA DA FÉ (cf. Act 14, 27), que introduz na vida de comunhão com Deus e permite a entrada na sua Igreja, está sempre aberta para nós. É possível cruzar este limiar, quando a Palavra de Deus é anunciada e o coração se deixa plasmar pela graça que transforma. Atravessar esta porta implica embrenhar-se num caminho que dura a vida inteira. Este caminho tem início no Baptismo (cf. Rm 6, 4), pelo qual podemos dirigir-nos a Deus com o nome de Pai, e está concluído com a passagem através da morte para a vida eterna, fruto da ressurreição do Senhor Jesus, que, com o dom do Espírito Santo, quis fazer participantes da sua própria glória quantos crêem n’Ele (cf. Jo 17, 22). Professar a fé na Trindade – Pai, Filho e Espírito Santo – equivale a crer num só Deus que é Amor (cf. 1 Jo 4, 8): o Pai, que na plenitude dos tempos enviou seu Filho para a nossa salvação; Jesus Cristo, que redimiu o mundo no mistério da sua morte e ressurreição; o Espírito Santo, que guia a Igreja através dos séculos enquanto aguarda o regresso glorioso do Senhor.

2. Desde o princípio do meu ministério como Sucessor de Pedro, lembrei a necessidade de redescobrir o caminho da fé para fazer brilhar, com evidência sempre maior, a alegria e o renovado entusiasmo do encontro com Cristo. Durante a homilia da Santa Missa no início do pontificado, disse: «A Igreja no seu conjunto, e os Pastores nela, como Cristo devem pôr-se a caminho para conduzir os homens fora do deserto, para lugares da vida, da amizade com o Filho de Deus, para Aquele que dá a vida, a vida em plenitude»[1]. Sucede não poucas vezes que os cristãos sintam maior preocupação com as consequências sociais, culturais e políticas da fé do que com a própria fé, considerando esta como um pressuposto óbvio da sua vida diária. Ora um tal pressuposto não só deixou de existir, mas frequentemente acaba até negado.[2]Enquanto, no passado, era possível reconhecer um tecido cultural unitário, amplamente compartilhado no seu apelo aos conteúdos da fé e aos valores por ela inspirados, hoje parece que já não é assim em grandes sectores da sociedade devido a uma profunda crise de fé que atingiu muitas pessoas.

Pensamento (34)

"Suportar é mais difícil que atacar."
Santo Tomás de Aquino

9 de jan de 2012

Você é curioso? Saiba o que diz São Tomás sobre o assunto


Hernán Cosp – 3º Teologia

São Tomás de Aquino, no seu tratado sobre a temperança[1], aborda um assunto ao mesmo tempo, tão interessante e agradável quanto atraente e fascinante: a curiositas. Analisemos o pensamento do doutor angélico a respeito de tal questão.

Em primeiro lugar, São Tomás distingue dois tipos de curiositas. Uma é aquela que diz respeito ao conhecimento intelectual e outra é aquela que toca no conhecimento sensitivo. O Aquinate, com a sua natural clareza e simplicidade, nos mostra que sendo o objeto a conhecer alheio às nossas necessidades espirituais e conveniências terrenas, pode facilmente ser nocivo à alma. Em outras palavras, o afã de conhecimento pelo mero prazer de dilatar nossa inteligência, pode levar à perversão do indivíduo, pois o aparta de seu fim último que é Deus Nosso Senhor.

Pensamento (33)

"Lembrai-vos, irmãos que temos uma alma que se a perdermos não a recuperaremos."
São José de Betancur

8 de jan de 2012

BBB 12 – por que combatê-lo?

Como no ano passado, por ocasião do reality show mais absurdo do país, lembramos  que os cristãos não têm o direito de abdicar da tarefa de lutar por uma cultura mais sadia e humana, por uma juventude mais consciente de sua dignidade, mas principalmente não se pode escapar do dever de pregar o Evangelho de Nosso Senhor, oportuna e inoportunamente. Em 2012, apesar dos números da audiência do ano passado serem baixos em relação aos anteriores, a maior emissora de televisão do país continua afrontando a família brasileira, que é francamente avessa a práticas homossexuais no horário nobre, e retoma o programa, dessa vez com as representantes homossexuais e pornográficas em escala maior. Se antes eram 1 ou 2 participantes, nessa temporada são entre 4 e 6 os declaradamente ligados a essa tendência da tv Globo. Não podemos nos calar, meus irmãos! Mas por que esse programa merece a oposição dos cristãos e dos homens de boa vontade? As razões são inúmeras:
  1. Por que os cidadãos brasileiros desejam uma sociedade mais séria, onde temas importantes sejam debatidos nos programas matutinos e vespertinos, dizemos não ao BBB 12!

A Papisa Joana: Parte II – A Verdade

Voltamos,

Começamos esse segundo e último post sobre a Lenda da Papisa Joana citando literalmente o Professor Lockwood:
“A moral do século XXI sobre a lenda da Papisa Joana é clara: a Igreja teme mulheres poderosas, a Igreja tem propositadamente posto fora de forma literária qualquer menção a mulheres poderosas de sua história, e a tradição persistente do celibato sacerdotal resultou do ódio às mulheres.”
O fato do celibato ser uma norma estabelecida séculos antes da existência dessa lenda parece não ter a mínima importância para os produtores do documentário da rede ABC NEWS (citado no post anterior). Cadê a isenção? O lance é ser o mais anticatólico possível e falar mal da Igreja? Parece-me que sim.

7 de jan de 2012

Pensamento (32)

"Aceita o que te manda o Sagrado Coração de Jesus Cristo para te unir a Ele."
Santa Margarida Maria

A Papisa Joana: Parte I – A Lorota

Papisa_joana_taro_marsella
E aí gente,

Vou discorrer sobre esse tema porque parece que muita gente (principalmente aqueles que tiveram acesso a um baralho de Tarô de Marselha), fica intrigado com ele. Para desenvolvê-lo, utilizei-me do trabalho do Professor Robert P. Lockwood. Nunca ouviram falar? Claro que não… Historiadores sérios não são publicados na República Popular da Banânia Petralha, e a academia brasileira tem tesão em palhaços franceses e comunistas ingleses. Se o texto existe em português, agradeçam a abnegados heróis tradutores, no caso em questão Marcos Zamith – que Deus o proteja e dê força.

UMA LENDA FORJADA POR CATÓLICOS

Bem, antes de mais nada, temos que deixar claro que essa história da Papisa Joana, para qualquer historiador sério, não passa de uma LENDA. E, acreditem, as fontes dessa história hodierna são totalmente CATÓLICAS. Falo isso porque durante muito tempo os católicos acusaram os protestantes de a haverem criado. Temos sempre que ser justos. Mas, como tudo em relação aos protestantes, tem um “perhaps”: embora não tenham parido essa blasfêmia, foram eles que alimentaram-na, na sua obsessão em desacreditar a Igreja de Jesus.

6 de jan de 2012

Papas do Séc. I: entre mártires e feridos, santificaram-se todos

E aí pessoal,
 
Estive um pouco ausente durante esses dias pesquisando e aprimorando o meu conhecimento a respeito da vida dos Papas. Bem, esse e apenas um de muitos posts que pretendo fazer falando um pouco da vida de todos os papas da Igreja.

Antes de mais nada, quero estabelecer alguns critérios.  Primeiro, pensei em dividir os posts levando em conta uma determinada quantidade de Papas, uns dez ou vinte por postagem, mas achei que não funcionaria legal; decidi então dividir por séculos. Outra questão seria qual listagem utilizar, já que existem algumas variantes; optei pela listagem aceita pelo Vaticano.  Isso quer dizer que não farei menção a Anti-Papas, Papisa Joana (esse absurdo no futuro renderá um post), papado de Avignon etc., a menos que seja necessário para explicar a vida do pontífice estudado.  Por último, a função aqui é apresentar a muitos católicos aqueles homens que comandaram o destino da Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Curiosidade: do primeiro ao 35º papa, todos foram canonizados.

Pensamento (31)

"Abrai-voz humildemente com as coisas que mais vos humilham e aniquilam, como meios muito eficazes para fazer com que triunfe o doce e amável Coração de Jesus, e seu coração reine no vosso."
Santa Margarida Maria

5 de jan de 2012

Ultimate Fighting no Séc. XI: Papa x Patriarcas

OS PAPADOS PRIMITIVOS E A PRIMAZIA PAPAL
cinco_patriarcas_niceia_1o_concilio
Os cinco patriarcas no 1º Concílio de Nicéia.

E aí pessoal,

Ao que parece, um dos assuntos que mais fascina e ao mesmo tempo confunde a cabeça dos interessados na história dos primórdios da Igreja é a a questão dos patriarcados primitivos. Principalmente porque essa questão acaba remontando à questão da primazia papal, ou seja, sobre a definição de quem é o patriarca que possui, de fato, a suprema autoridade sobre as diversas Igrejas que compõem a Igreja Católica.

Na nossa série de posts sobre os papas, buscamos a princípio montar uma pequena biografia de cada um desses homens que, em algum momento, estiveram à frente da Igreja Romana. Na cabeça de 99,9% das pessoas que leem nossos posts, há a ideia de que a sucessão romana era considerada a autoridade máxima desde sempre. Não era bem assim. Para falar bem da verdade, o bispo da Alexandria foi chamado pelo termo carinhoso de Papa muito antes do bispo de Roma adotá-lo – haveria sido João I (século VI) o primeiro bispo de Roma a ser chamado de Papa.

Oração da Paz do beato João Paulo II - Padre Reginaldo Manzotti


Filhos e filhas,

Um feliz e abençoado 2012, repleto de paz e luz!

Neste primeiro boletim do ano gostaria de compartilhar a Oração da Paz do beato João Paulo II. Todos nós desejamos a paz. Porém, devemos sempre lembrar que a verdadeira paz é a de Jesus Cristo, uma paz inquieta que faz com que sejamos promotores dessa paz e do amor de Deus no mundo.

Pensamento (30)

"Que Jesus entre triunfante no seu coração e nele reine para sempre!"
Padre Pio de Pietrelcina

4 de jan de 2012

Birita: a minha religião permite. E a sua?

mussum 
Faaaaalaaa Negádis Católiquis!!!

Hoje é sexta-feiraaaaa!  Dia intergalático da birita.  E aí?  Você curte tomar uma cerveja com a galera? Talvez sim. Se se você costuma fazer isso, aposto que sempre aparece alguém pra lhe dizer: “MAS VOCÊ É CATÓLICO! NÃO PODE INGERIR BEBIDA ALCÓOLICA!”.  São os patrulheiros de plantão…  Mas aí vem a pergunta: afinal, pode ou não pode?

A regra é clara.  Pode sim! Não há absolutamente nada escrito em lugar nenhum dizendo que você não pode.  Muito pelo contrário… Se Deus condenasse a ingestão de bebidas alcoólicas, Cristo jamais teria transformado a água em vinho nas bodas de Caná, muito menos teria permitido que fosse servido vinho na Última Ceia!

Pensamento (29)

“Com a oração poderá logo soerguer-se, ao passo que sem ela ser-lhe-á muito difícil. Não deixe que o demônio o tente a abandonar a oração por humildade”
Santa Teresinha

3 de jan de 2012

Missa inculturada ou Missa avacalhada?

missa_sertaneja_padre

De umas décadas para cá, vem se perdendo a noção de que a missa é feita para exaltar e agradar a Deus, e não aos homens. Fazem missa para celebrar a negritude, a cultura gauchesca, a vida sertaneja, o amor ao time de futebol… E Jesus, que pediu “Fazei isto em memória de mim”, vai ficando pra escanteio.

A partir do Concílio Vaticano II, a Igreja entendeu que seria benéfico admitir a diversidade na forma de celebrar a liturgia, abraçando o princípio da inculturação do Evangelho, como explica o Padre Paulo Ricardo:

Pensamento (28)

“A oração consiste em tratar a Deus como um pai, um irmão, um Senhor e um Esposo.” 
Santa Teresinha

2 de jan de 2012

Vou rezar… mas não vou acender agora!

Incendeeeeeiaa Povo Católicoooo!!!

bombeiro 
E aí? Já acendeu sua vela na porta da Igreja, dando a sua contribuição para o negrume das paredes? Já ameaçou incendiar o pé de um santo? Então esse post é pra você!

Acender velas é um hábito entre as mais antigas religiões conhecidas. E nós, católicos, não fugimos à regra. Adoramos atear fogo em bastõezinhos de cera e aumentar a emissão de carbono das nossas paróquias. Pois bem… hoje você vai descobrir que sua vela não serviu de farol para as almas e nem tampouco serviu de pagamento para um santo que atendeu os seus pedidos. Mas se não é pra essas coisas que elas servem, então pra que é?

Nas celebrações, as velas são utilizadas em geral para iluminar e dar destaque a determinados objetos litúrgicos, enfatizando a sua importância, ou para representar o próprio Cristo, já que ele é a Luz que vence as trevas do nosso pecado (o Círio Pascal é um bom exemplo desta última função).

Pensamento (27)

“Depois que ficava em oração, via que saia dela muito melhorada e mais forte.” 
Santa Teresa d’Ávila

1 de jan de 2012

Troco cinco Ave-Marias por um Carro. Tratar aqui.

É JUSTO FAZER PROMESSAS A DEUS E AOS SANTOS?

Pede, Povo Católicoooo!

Já prometeu que ia rezar um terço se Nossa Senhora lhe desse cola na prova?  Já queimou muitas calorias dando pulinhos pra São Longuinho achar objetos perdidos?  Já colocou uma vela do tamanho do Michael Jordan aos pés de um santo?  Pois é… hoje vamos entender o que deveria ser uma promessa, o que está por trás desta tradição e como a coisa está degringolando pra ser um balcão de negócios com Deus!

pagando_promessa_santo_beata
Que atire a primeira pedra quem nunca fez uma promessa. Os pedidos vão desde os mais urgentes, como a cura para uma doença, até os mais caras de pau, como ganhar um carro. Mas o fato é que todos são justos, na medida em que Deus é nosso Pai e, como bons filhos, podemos mesmo pedir tudo a Ele.  Mas… nem sempre nossos pais nos dão aquilo que pedimos.  E raramente estamos dispostos a receber aquilo de que realmente precisamos.  Afinal, é muito mais fácil pedir mesada do que trabalhar, não é?Mas seja qual for o seu pedido, o recado é: faça por merecer.  Não adianta querer pedir pra um santo resolver a sua prova de matemática se você deixou de estudar pra ir no show do Justin Bieber (na verdade, só por isso você deveria tirar zero pelo resto do ano).  Também não adianta pedir pra Santa Edwiges pagar suas contas, se você gastou os tubos em birita ontem na balada, ou etourou o limite do seu cartão de crédito comprado calcinha da Victoria Secret.

Pensamento (26)

“Assim como necessitamos continuamente da respiração, assim também temos necessidade do auxílio de Deus; porém se queremos, facilmente podemos atraí-lo pela oração.” 
São João Crisóstomo