18 de ago de 2011

Perante o "eclipse de Deus", jovens na JMJ Madrid devem viver a fé de maneira integral e com coragem

MADRI, 17 Ago. 11 / 11:06 am (ACI/EWTN Noticias)

O Arcebispo de Piura (norte do Peru), Dom José Antonio Eguren Anselmi, alentou em sua catequese desta manhã  um grupo de jovens na Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Madrid 2011 a quer vivam a fé de maneira integral e com coragem, diante do "eclipse Deus" na sociedade, quer dizer, ante a tentativa de construir a
vida de costas ao Senhor que é fonte de todo o bem.

Em sua catequese que leva por título "Firmes na fé" desenvolvida na Paróquia Beato Manuel Domingo y Sol na localidade de Majadahonda na capital espanhola, o Prelado peruano convidou os jovens a darem graças a Deus por este importante evento com o Papa Bento XVI

Assim, exortou, "vivamos cada uma destas jornadas com uma fé integral: fé na mente, que acolhe a verdade revelada; fé no coração que se adere a ela afetiva e existencialmente; e fé na ação que se desdobra em um esforço cotidiano constante pela própria santidade e pelo cumprimento da missão apostólica, sempre em ativa cooperação com a graça de Deus".

O Arcebispo disse logo que o Beato João Paulo II, o Papa amigo dos jovens, é um bom exemplo deste modo de viver a fé. Ele sabia que "os jovens, sem Cristo, jamais seriam capazes de encontrar o sentido da vida. Por isso buscou vocês e vocês descobriram nele um amigo e um mestre a quem vocês abriram seus corações porque perceberam que ele, inclusive já ancião, conhecia o segredo da vida juvenil".

Depois de agradecer ao Papa Bento XVI por ter animado os jovens a peregrinarem à capital espanhola para um encontro especial com o Senhor e depois de agradecer à cidade de Madrid, Dom Eguren explicou que hoje em dia "o cristão vive sua fé em Deus e em Jesus em um contexto particular de um ‘esquecimento de Deus’, em meio de um laicismo difundido que elimina a Deus da vida pública".

"Posto que Deus é a fonte da vida, o ser humano sem uma referência consciente a seu Criador, perde sua dignidade e identidade. É preciso ser claros: o esquecimento de Deus é a origem de todos os males e problemas da sociedade", explicou.

"Sim queridos amigos, o drama que vive o homem contemporâneo não é outro senão o eclipse do sentido de Deus e portanto o eclipse do sentido do homem, já que perdendo o sentido de Deus, perde-se o sentido do homem, de sua dignidade e do valor de sua vida".

Logo depois de explicar que a despenalização do aborto, o assassinato de seres humanos no ventre materno, é um sinal deste "eclipse de Deus", o Arcebispo propôs quatro meios concretos para viver a fé na vida diária de maneira firme e integral.

O primeiro é a leitura diária da Palavra de Deus, sempre no contexto da Tradição e do Magistério da Igreja, para poder ser capazes de "construir a vida sobre Cristo".

O segundo é a catequese, para a qual a JMJ oferece o YouCat, o catecismo preparado especialmente para os jovens, para conhecer bem aquilo em que acreditam. O próprio Papa Bento XVI alenta os jovens no prólogo deste texto a que se formem "se é que não querem sucumbir às seduções do consumismo, se seu amor não quer afogar-se na pornografia, se não quiserem trair os fracos".

O terceiro meio é a Missa dominical, porque é "uma escola eficaz para comunicar a fé e crescer nela. É o momento semanal privilegiado do encontro com o Senhor Ressuscitado. Na Santa Missa do Domingo os cristãos experimentam que não seguimos um personagem do passado, mas Cristo vivo, presente no hoje e o agora de nossas vidas".

O quarto meio proposto pelo Arcebispo peruano é a piedade filial a Santa Maria: "Ela nos ensina com o exemplo de sua vida a acolher o dom da fé e a vivê-lo no horizonte da esperança inflamada pela caridade. Sua vida é uma lição única e incomparável de adesão total e sem reservas ao Plano do Pai, de vital acolhida ao Senhor Jesus e de docilidade ao Espírito Santo", explicou.

Dom Eguren assinalou finalmente que "para manter uma fé firme, que não se veja sacudida pelas ideologias, modas de pensamento ou estilos de vida de hoje; para não ter uma fé vaga, para não terminar à deriva ou na confusão, é fundamental ser sustentados pela fé da Igreja".

"Que Deus os abençoe a todos e confio que estas pobres reflexões os ajudem a viver cada vez mais 'firmes na fé', a construir as suas vidas no único alicerce estável que não passa e que perdura para sempre: Cristo Jesus!, único Salvador do mundo, ontem, hoje e o será sempre", concluiu. abrindo-se “ao dom da fé com todo nosso ser de pessoas".

fonte:http://www.acidigital.com/noticia.php?id=22368

Nenhum comentário:

Postar um comentário